terça-feira, 10 de maio de 2011

GLS: Gersons, Juízes e Farnéis

querido blog:
Um padre querer ter suas opiniões sobre o lado da alcova do casamento levadas a sério é o mesmo que eu querer que minhas opiniões sobre a organização do serviço sejam levadas a sério, digamos, num bordel ou numa sala de microcirurgias oculares. Além de certos limites mais ou menos óbvios, não deveríamos ser levados a sério, um celibatário e um blogueiro. Eu falarei abaixo sobre sociedade justa, o que me leva a opinar, marginalmente, sobre a organização dos serviços de família, gastronomia e justiça nacionais.

Mas o padre Gerson Schmidt, no artigo da p.17 de Zero Hora de hoje, indignado com o reconhecimento de direitos e deveres iguais aos casais homossexuais diz cada uma... Por exemplo, ele diz que "[s]abemos, por tradição e pelas [e]scrituras, que o [c]riador fez o homem e a mulher, tão somente nessa modalidade, como núcleo primitivo da família humana." Antes, já dissera que "[há] silogismos falsos que levam a conclusões equivocadas (e até pensei: todo silogismo mal formado leva a conclusões equivocadas). Eu pense, no estilo de seu artigo, num exemplo didático:

M: Todos são iguais perante a lei
m: Ora, os gays, lésbicas e simpatizantes são iguais entre si
C: Logo, a lei é para os iguais perante a lei, o que exclui os GLS.

"Tão somente nessa modalidade"? Cocei a cabeça com o garfo (era hora da banana esmagada no breakfast) e tornei-me menos sorridente, que diabos de modalidade seria aquela à que o santo homem estar-se-ia referindo. Um padre falando de gays, um papa proibindo abortos e convivendo com a pedofilia dos eclesiásticos, que religiãozinha! Depois desta minha derrapada no silogismo, tentarei novamente. Qual diabos mesmo é a validade epistemológica do conhecimento (saber) por tradição? O das escrituras é até mais fácil de dizer: é a autoridade do papa, neguinho tido por infalível em assuntos religiosos. Aliás, quem o desconsidera não pode ser declarado prosélito. Falsificação ad hoc. Voto no partido que topar ampliar os direitos de todos, incluindo, obviamente, por serem seres humanos, os GLS, os meninos de rua, os meninos de casa que não têm acesso à educação com merenda. Voto contra aceitarmos como valor absoluto a tradição. Se nosso sistema judiciário os aceitasse, também aceitaríamos a escravatura, a infibulação feminina, o direito ao espancamento das crianças, das mulheres, dos jogadores de futebol, o que seja.

Sistema judiciário? Pois vejamos o que diz o "drops" da p.3, "Informe Especial": "Os juízes responsáveis pelos principais presídios do Estado decidiram, por unanimidade, solicitar a suspensão da portaria que estabeleceu a revista íntima nas crianças que visitam familiares na cadeia." Centrado (geometricamente, devo acrescentar) em meu umbigo, pensei que -se me fosse dado o dom de trocar fraldas, ser-me-ia fácil colocar, pelo menos, 30 telefones celulares entre duas camadas, a primeira protegendo a criança por uma grossa camada de hipoglós. Quando nasci, usava fraldas (colocadas por terceiros), mas não se usava a expressão "baseado" para designar um cigarro de maconha. Ainda, já naquele tempo, especulei que, onde cabem 30 telefones celulares, também inserem-se no mínimo 30 baseados, ou até mais.

Em seguida, censurei-me por considerar que criancinhas da candura de bebezinhos seriam traficantes de armas, drogas, telefones, bilhetinhos amorosos, obras de literatura em língua portuguesa e outras línguas, tudo nas fraldas. Seria maldade exprobarmos a cultura, por impedir que, digamos, presidiários lessem as histórias de Fradique Mendes. Nunca poderemos, contive-me, igualar direitos de crianças, criminosos e loucos aos direitos de cidadãos detentores das opiniões mais desencontradas sobre os mais desencontrados assuntos que devem ser, assim mesmo, os juízes das ações e fatos sociais.

Pois bem, ponto contra os juízes responsáveis. Será que eles não se flagraram que o Brasil não tem o melhor sistema penitenciário no mundo, inclusive porque não tem os melhores funcionários policiais do mundo (já não digo que não tenhamos os melhores juízes do mundo, ao contrário, pela habilidade que eles alcançaram nos últimos 50 ou 60 anos de elevaram seus ganhos tão estrondosamente acima do salário mínimo, di-los-ia a crème de la crème). Ou seja, se houvesse alguma sensatez na ação dos juízes responsáveis, eles iriam tentar algum tempo para treinar os funcionários das cadeias, a fim de impedir que esse contrabando de telefones, baseados e livros de Eça de Queiroz nas fraldas de criaturas absolutamente irresponsáveis. Transcrevo mais: "Na mesma deliberação, os magistrados argumentam que, em caso de suspeita de transporte de armas, celulares ou drogas, a entrada dos menores seja supervisionada de perto por um servidor público."

Nâo achei que os juízes tenham pensado no problema da carência de pessoal. Ao contrário, acho que eles estão pensando que, como bebezinhos não apresentam ficha criminal, não podem ser acusados de nada, a não ser que haja sentença judicial em julgado. Seja como for, pensei na sociedade igualitária, ou seja, no item final de John Rawls para definir o que é sociedade justa. Caso tivéssemos para cada visitante menor de idade um policial treinado, alfabetizado, leitor de Eça e Machado, conhecedor das quatro operações, conhecedor de mais coisas, como é que combina H2 com O e o que é gerado, essas coisas, dirigir automóvel com segurança, saber cuidar de sua higiente pessoal, não ser declaro nem criança, nem criminoso nem louco, então chegaríamos rapidamente à sociedade igualitária e, possivelmente, com a tradição (...), também a sociedade justa.

E aí pensei: bem só pode ser que os juízes responsáveis não conseguem pensar em nada mais útil em que aplicar seus R$ 30 mil, digo, seu tempo. No editorial da página anterior à do artigo do padre-jornalista, o que vemos é uma denúncia feita com frequência neste blog: o roubo das merendas das crianças. É uma vergonha nacional que não haja juízes responsáveis por isto. Juízes? Juízes, promotores, assistentes de justiça, guardas judiciários, motoristas dos camburões, dentistas que cuidam da boca dos cavalos da brigada militar e dos presidiários, além, claro, da família dos detentos, uma pilha de coisas que não tem responsáveis. Uma pilha de coisas que, dia após dia, permanece absolutamente igual no Brasil.

Prevejo, para daqui a alguns dias, a denúncia de alguns brasileiros por criarem e manterem rádios piratas, prevejo que vão prender uns rapazes por porte ilegal de baseados (na sala de aula não pode, pois tem colegas armados), mortes por abortos, mais mortes por atropelamentos nas estradas, nas faixas de segurança. Prevejo que não haverá reforma política nenhuma, prevejo que não haverá reforma tributária nenhuma, prevejo que teremos eleições e prevejo que tudo muda tão lentamente que até um ponto final nesta postagem demorou pilhas a ser pingado (fora os do "p.s.").
DdAB
p.s.: a linda imagem é de abcz.

2 comentários:

Tania Giesta disse...

Caro Duilio: lendo tua postagem, preocupei-me com tuas previsões...mas, nem tanto com o que vejo diariamente no meu cotidiano: "na semana passada, num manha fria, 12 graus, ao iniciar a aula observei que Robert, meu aluninho de 8 anos estava quieto demais, instintivamente aproximei-me dele e toquei suas maos que estavam geladas e ele com labios roxos, seguindo meu coração abracei-o e, ESPANTO!! ele estava com a roupa que vestia molhada, encharcada no corpo magrinho...imediatamente retirei-o da sala de aula...foi levado para casa...lá , a irma de 12 anos contou que havia lavado a noite as roupas , que nao secaram e ele nao tinha o que vestir, teve q retirar do varal as peças molhadas, vesti-las ´para ir a escola...Ela , a irma, cuida de Robert e mais dois irmaos pequenos, o pai está preso e a mae prostituiu-se, sai de casa e as vezes volta para casa....Entao naquele dia eu vim para muito deprimida e perguntei: - Onde esta o tal deus???!!! Meu filho me respondeu :
- DEUS estava em quem abraçou o menino e viu-o com a roupa molhada!
ABRAÇOS

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

olha, Tânia! esta foi a mais comovente e revolucionária mensagem que já circulou pela internet! complementarmente eu penso que os políticos, que ganham R$ 30 mil, que se dedicam a proibir os estrangeirismos e que deixam passar esse espanto de corrupção, como é o caso do roubo sistemático das merendas da criançada é que são a encarnação do diabo.
... e fico feliz de ver-te ativa e leitora.
DdAB