sexta-feira, 13 de maio de 2011

Traband e Enigmas do Blogger

querido blog:
hoje recebi um bilhetinho estranho. ontem, também de modo estranho, postara um material falando sobre a troca de mercadorias: bananas comunistas made in Cuba por, digamos, automóveis made in DDR, a Deutsche Demokratik Republik que foi sepultada semanas depois da queda do Muro de Berlim. o bilhetinho será transcrito abaixo. o Trabant ilustrará a postagem de hoje. o título de ontem era algo como bananalidades, que não será mais usado. das banalidades das geléias de banana, e automóveis per capita, passamos a uma falha monumental no meu provedor de blog gratuito. gratuita a leitura e gratuitos os serviços que me prestam. na verdade, meu ponto ontem é fácil de resumir.

quando caiu o comunismo na Alemanha Oriental, ouvi muitos relatos dizendo que uma das razões que os fazia descontentes era a dificuldade de comprar banana. e pensei que os cubanos poderia ter-se especializado neste produto tropical. e trocar. e citei os modelos elementares de determinação da renda, para dizer que a banana e o Trabant poderiam ter levado aqueles dois povos ao paraíso. eu disse "poderiam", pois entendo que o que derrubou mesmo a ditadura comunista em Berlim foi a carência por liberdade. e que ainda não pintou nada igual na monarquia Castro, que rege Cuba há duas gerações.

ok. a cartinha é a seguinte:

Caro Senhor:
As almas jovens são as mais fecundas para  a prática do debate frutífero, apenas acessível aos bem-intencionados. Por isto, recebi com galhardia as referências a meu nome no já memorável artigo em que V. S.comenta um elenco de problemas que assolam a vida contemporânea. Junto-me a eles, digo, junto-me aos homens e mulheres de boa-vontade que expressam o desejo de vê-los resolvidos. Todavia não quero falar dest tipo de abordagem ao cotidiano, por mais promissora que ela seja para viabilizar os encaminhamentos das questões que hoje conspurcam a trajetória luzidia do sofrido povo (de Floripa) que vive entre o Abraão e Zimbros. O que me traz à lúcida presença de V. S. é tentar aprofundar o que percebo estar encravado nas entrelinhas de algumas brilhantes mensagens que tenho lido, postadas que vejo em desencontrados locais. Percebo que V. S. sugere que o grande impeditivo de que a humanidade se alce às estrelas é um banal problema de gestão.

Em outras palavras, entendo que V. S. acha que, se os pobres do planeta melhor pudessem gerir suas necessidades, buscando adaptá-las aos recursos disponíveis, eles não seriam pobres, e seriam até mais ricos do que o mais rico dos capitalistas abundantes no Nordeste da Nigéria. Creio, obviamente, ser esta proposição um tanto exagerada, mas em linhas gerais minhas reflexões me levam a concordar com todo o exagero que possa nela haver, eis que da contradição nasce o movimento e, com este, nascem os processos evolucionários. Na verdade, cheguei a pensar em sugerir à Academia que, ao invés de falar em "movimento", quando se refere ao mundo empírico, fale sempre em "evolução".

Por isto, na intenção de melhor qualificar a trajetória dos pobres, tenho 23 problemas de gestão a discutir, sob a perspectiva da redenção do povo que ora prende-se ao Planeta Terra como Cristo à cruz. Assim, recomendo que o que quer que seja que se queixe que o contido abaixo seja lido sob o título de "Traband e Enigmas do Blogger."

editei ligeiramente aqui e ali
DdAB
p.s.: nada encontrei "abaixo".
p.s.s.: tem milhares de fotos do Trabant, que destaquei apenas esta. aparentemente, esse carro foi produzido até o final, ou seja, 1989. em seguida, como apêndice (variável de controle), vai um carro Ford 1989. não penso que o Brasil tenha maiores motivos de orgulho, pois seu padrão de vida, mesmo naqueles tempos difíceis era dromedariamente inferior ao da Alemanha Democrática.
 
p.s.s.: mais surpreso ainda estou ao ver que a postagem que não saiu saiu.

Nenhum comentário: