sábado, 21 de maio de 2011

Demônios Laplacianos

querido blog:
claro que não sabemos, e talvez nunca venhamos a saber mas talvez venhamos, se Deus existe. no outro dia, marcou-me a tolerância sobre o espiritualismo ver um carinha dizer que tão impossível provar que Deus existe quanto buscar a prova de que ele não existe.sobre o conhecimento absoluto dos acontecimentos de todos os tempos -passados e futuros- nem precisamos invocar a existência de Deus, mas do demônio laplaceano.

a versão radical diz que tudo o que fazemos, inclusive os lançamentos de dados de azar, tem resultados conhecidos por este ente sabe-se lá se demoníaco ou divino. agora, digamos que isto seja assim mesmo, que tudo o que conhecemos, este "universozinho conhecido" seja fruto de um programa de computador (oslt) de seres tetradimensionais. ou melhor, supondo que nós sejamos tetradimensionais com o vetor energia-tempo-massa-espaço, então esses carinhas (ou apenas "Esse Carinha", hahaha) seria/m pelo menos pentadimensioais. e já li um livro que diz que o universo é heptadimensional.

para facilitar-nos a vida o melhor mesmo é pensarmos que detemos controle sobre algumas variáveis e não sobre outras que definem mais nossa vida do que nossa morte. (ainda que tenhamos mais habilidade em definir a morte, com o vulgar suicídio, o sofisticado sedentarismo, a cachaça, e por aí vai). ok, ok. esta postagem é "Escritos". se não o fosse, eu iria seguir filosofando sobre o que fazer com o conhecimento de que, quando o preço de uma mercadoria sobe, seu preço cai. e eu diria que, ceteris paribus, foi o preço que causou a variação na quantidade e não que foi a quantidade que causou a variação no preço, ainda que possa conceber uma e outra hipóteses. como não é de economia política que estou falando, então não falarei mais nada.
DdAB
esta linda imagem de fractal veio daqui.

Nenhum comentário: