domingo, 12 de junho de 2011

Dividindo o Salário Mínimo

querido blog:
pensei que podemos multiplicar o salário mínimo, a fim de fazê-lo pressionar as empresas para aumentarem a produtividade: empresa que não consegue produzir o suficiente para pagá-lo deve ir à falência. o capital seria vendido por menor valor, a taxa de lucro elevar-se-ia e tudo voltaria ao normal, com os trabalhadores, no longo prazo, ficando em melhores condições.

o problema é que não houve, há ou haverá empregos para todos. logo é necessário um instituto como o da renda básica unviersal, a fim -inclusive- de exercer um papel contra-cíclico. em épocas de excesso de demanda, deixa como está. em época de recessão, joga dinheiro na mão da turma.

teríamos assim já dois: salário mínimo e renda básica universal. o terceiro seria o pagamento de transferências (aposentadorias e pensões). este deve ser maior do que a renda básica e menor do que o salário mínimo. salário mínimo, é preciso repetir ad nauseam, não é indexador da economia, mas apenas da produtividade da economia. o salário mínimo, na verdade, deveria chamar-se de salário industrial, para trabalhadores regulares, detentores de empregos decentes. maior até do que a complementação para "subornar" indivíduos detentores da renda básica universal para fazerem serviços comunitários no Serviço Municipal.

em outras palavras: multiplicar o salário mínimo e o industrial. dividir em três ou quatro conceitos operacionais.
DdAB
p.s.: a imagem veio de abcz. ou seja, do companheiro Delúbio. cada uma!!!!

Nenhum comentário: