quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Vergonha é Roubar...


Querido diário:

Hoje vi no jornal o resultado de uma presidenta com um governador. O nome dela, bem sabemos, é a Dilma. E o dele o olvido encarrega-se de guardar, não me interessa. O que interessa é que eles dão por pacífico que as investigações sobre as fraudes da Petrobrás não devem impedir as obras públicas geridas pelas empreiteiras corruptoras do dinheiro do pobre continuem.

Eu pensei que tem gente dizendo que a corrupção é endêmica ao povo brasileiro. E me atrevi a pensar que provavelmente quem inventou o ditado "Vergonha é roubar e não poder carregar" terão sido nossos fundadores, os dalém mar. E acho, claro, que isto é uma ironia de nossos amados ascendentes culturais. Creio que um cidadão honesto diz "vergonha é roubar" e o outro, aquiescendo, mas não querendo sentir-se como puxa-saco, complementa "e não poder carregar", como se estivesse apoiando a tese afanásia, mas o que está fazendo é condená-la.

E também pensei no Grande Salto para Frente e na Revolução Cultural, filhos do maoísmo e dos demais desmandos chineses que pararam tudo, tudinho. Aqui, bem sei, nada de útil resultará dos esforços e estrondos. Quando é que chega a hora de parar um país para ajeitar tudo? Talvez, pensando positivamente (isto é, o mais objetivamente possível, sem valorações), o necessário fosse mesmo trazer uma empresa júnior de alguma universidade do norte da Europa e fazê-la administrar não apenas a justiça, mas principalmente o executivo. Fechando os estados, as assembleias de deputados estaduais e o senado federal, já seria um bom passo para o reinício sem os sobressaltos que a negadinha impingiu à vida chinesa.

DdAB
Imagem daqui. Por falar em roubar, não posso omitir as políticas públicas com relação ao trato do lixo urbano, com a terceirização para desvalidos. Empregos informais para lidar com lixo equivale a 15 mil roubos por família brasileira.

Nenhum comentário: