terça-feira, 12 de maio de 2015

Misselden e o BOP


Querido diário:

Edward MISSELDEN:

E o BOP (Balanço de Pagamentos, balance of payments, batalhão de operações especiais)

Edward Misselden (1608–1654) was an English merchant, and leading member of the writers in the Mercantilistgroup of economic thought. He argued that international movements of money and fluctuations in the exchange rate depended upon the international trade flows and not the manipulations of the bankers, which was the popular view at the time. He suggested that trading returns should be established for purposes of statistical analysis, so that the state could regulate trade with a view to obtaining export surpluses.

O Sr. Misselden, em 1623, calculou o balanço de pagamentos da Inglaterra entre os Natais de 1621 e 1622. E qual foi mesmo minha fonte, que não pude confirmar no verbete da Wikipedia que acabo de transcrever? 

Se era mercantilista, não é meu aliado. Se era contabilista social, merece meu respeito e reconhecimento da ascendência profissional.

E eu que não sou nacionalista, nem mercantilista? Volta e meia insisto no ponto: ninguém nega que o livre trânsito de mercadorias e pessoas deve prevalecer daqui a 100 anos. Eu, muito sabido, por indução reversa digo que ele também deve, portanto, iniciar hoje mesmo. Mas ainda mais sabido do que muito sabido considero que um país não pode começar esta coisa de um dia para o outro. Ele deve reparar-se, especialmente não se deixar explorar por outros países vilões, uma coisa assim.

Não me canso de repetir que fiquei estupefato, há muitos anos, ao entender que -ainda naquele tempo- havia "economistas de esquerda nacionalistas". Eu os vejo em ação mesmo nos dias que correm, da mesma forma que vejo -envolvidos nesta discussão sobre a flexibilização das leis trabalhistas- o paternalismo de tantos esquerdistas e a busca de caminho errado para "fortalecer a classe trabalhadora". O mundo mudou e precisamos certificar-nos de que entendemos e que vamos ajudar as novas mudanças.

DdAB
Este Botero saiu daqui.

Nenhum comentário: