domingo, 12 de março de 2017

Analfabetismo: craqueando governantes


Querido diário:

Quem lê Zero Herra, às vezes lê a notícia da hora. Pois o caderno "doc." (ou o que seja) desta "edição de fim-de-semana" tem duas comoventes reportagens com analfabetos. Contígua, página 15, vemos uma entrevista com a professora Maria Clara Di Pierro, da Faculdade de Educação da USP. Tiro um trecho que me parece resumir tudo, inclusive um breve contra quase permanente ativismo de sofá da estrondosa maioria dos cronistas contratados:
Professora Di Pierro:
[...] Eu não acredito em um remédio estritamente educativo [para acabar com o analfabetismo, e ela mostra descontentamento com o/a repórter que falou em erradicação do analfabetismo]. Nenhum país do mundo chegou à universalização da escola e a uma difusão da alfabetização sem também proporcionar certos níveis de democratização econômica e de bem-estar social. Não tenho essa ilusão da erradicação, pois acho que os problemas são muito mais complexos. A gente tem um desafio muito grande de combater a desigualdade social profunda que temos no nosso país e que está na raiz dessa problemática. [...]
Retomo: desigualdade? Aqui? Tem tanto problema aqui que só pode mesmo ocorrer-me uma frasezinha: "Abrace a política, sufoque um político".
P.S. Esta imagem que selecionei nada tem a ver com o assunto. Não? Com governantes delineando políticas (educação, combate às drogas) neste país, precisamos mesmo é pensar em uma invasão estrangeira: qual seria o melhor patrão, pois o atual não está dando conta?

DdAB
Imagem daqui. O texto foi importado -ipsis litteris- do Facebook.

Nenhum comentário: