quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Punir o Governo

querido blog:
ontem foi impressionante. escrevi o título da postagem como "sangrar o governo" e me referia ao estilo de oposição que me deixa maluco: os demagogos da maior parte dos partidos (ou seja, praticamente todos os políticos de todos os países deste terceiro planeta de Sol) não fazem oposição: querem sangue. querem o poder, mesmo à custa de perda de tempo, de sabotagem institucional ao governo instituído. mas o próprio governo instituído não é lá essas coisas. refiro-me, claro, menos à Noruega do que à Nigéria, menos à Bélgica do que à Bolívia. quando falei que a oosição sangra o governo não quis negar, como digo sempre, que toda essa macacada é governo, no sentido de que seus estipêndios derivam-se de impostos cobrados à população.

ontem mesmo vi no jornal outro capítulo vergonhoso da política brasileira. hoje o tema voltou à capa de Zero Hora e tem noticiário espantoso na p.6. o assunto é: o compositor Tonho Crocco, indignado, em dezembro de 2010, com o aumento de vencimentos que se estabeleceram os deputados (36 entre 55 deles votaram a favor de subir de R$ 11 mil para R$ 20 mil), fez um rap, se bem li, em que cita estes 36 vilões nominalmente. a canção chama-se Gangue da Matriz, nome que diz duplamente aos porto-alegrenses: a praça lindeira à igreja da matriz, a catedral metropolitana dos católicos e a famigerada gangue da praça, parece-me que integrada por filhos de desembargadores, que espancou até à morte um indivíduo humano.

pois o deputado Giovanni Cherini, na época exercendo o cargo de presidente da Assembléia Legislativa do RGS (e já eleito deputado federal, esperando apenas a hora de empalmar a nova prebenda), processou o compositor, alegando justa causa, sei lá. parece que Cherini pertence ao velho mundo, ao tempo antigo, ao tempo das prebendas, das sinecuras, das veniagas, das tranquibérnias. e parece que o mundo novo puniu o governo de maneira exemplar: hackers, benditos hackers, tiraram do ar o site da Assembléia Legislativa no dia de ontem. o governo foi punido, simbolicamente. o governo foi punido! parece que realmente está chegando a hora de vermos a potencialização do poder político da internet, das redes de relacionamento.

consta que o cantor deverá comparecer a um audiência de conciliação com o deputado (agora de ganhos federais) no próximo dia 22. e parece que há uma confirmação de presença de cidadãos na referida audiência de quatro mil pessoas! chegaremos a 40 mil, chegaremos a 400 mil, chegaremos aos milhões de descontentes com a vergonha que indivíduos, milhares deles, em todo o Brasil, levaram à política. punir o governo, eis o começo do tema.

o toque ridículo do episódio também é estampado nessa p.6 de Zero Hora. o deputado Edson Brum, que declarou-nos o jornal ter feito parte dos 36 votantes em causa própria, manifestou-se:

Liberdade de expressão jamais pode ser libertinagem. Mas não me sinto ofendido, até porque continuo achando que ganho pouco.

DdAB
p.s.: aqui dá cadeia. cadeia para eles. mais punições!

2 comentários:

Ronald Hillbrecht disse...

Bravo, Duílio!
Não fosse eu preguiçoso e avesso a grandes concentrações (odeio shoppings e não vou a estádios nem shows), estaria eu dia 22 nas proximidades da referida audiência em apoio ao compositor.

Abs,

Ronald

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

certo, Ronald:
eu estava programadíssimo para ir lá! mas pelo que entendi, é possível que o inquisidor não compareça. ficarei vigilante: pode ser que o protesto ocorra de qualquer jeito, pois os "salários" seguem nos R$ 20 mil.
DdAB