terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Os Campos, os Neves e... Já Chega

Querido diário:

Há pouco li no Facebook uma publicação encontrável pelas pessoas credenciadas. E fiquei pensando em casos similares. A primeira coisa que ocorre a uma pessoa não exageradamente crédula, como é meu caso, é verificar a autenticidade das notícias. Pode que Dar Ribeiro tenha tomado gato por lebre.

Cheguei a ela por meio da notícia daqui:
Fui para o Google e tropecei aqui, razoável confirmação. Mas lembrei da história de Aécio que retirei daqui:
Pode que este pessoal que se declara amigo do presidente Lula tenham-se equivocado de diário oficial, de presidente da república e de ministro primo de Aécio. Mas também procurei um pouquinho e achei esta encrenca aqui:

Ainda assim, acho suspeito haver um decreto sem número, sei lá, não sou dessas coisas.

Mas, na linha da parentada, também temos a postagem que vale mais pela ilustração daqui:
Pode que tudo seja falso. Pode que não. Pode que a turma beneficiada nada tenha a ver com patrimonialismo, com nepotismo. Pode que não. Aliás, quem pode pode, quem não pode se sacode, não era isto?

DdAB

2 comentários:

Fabio Cristiano Pereira disse...

Prezado Mestre, bom dia!
Acordo cedo, cheio de expectativas e esperanças por um nascer otimista de mais um dia.
Com grande satisfação, vou ler um novo texto seu... e me deparo com este...
Sendo sucinto, soltei a frase: "Mas que P*#%! é essa?"
Realmente, tem horas que dá aquele nojo de ter nascido na terra do 7x1, e não na pátria mãe dos Economistas! God Save The Queen!
Estes políticos são realmente a pior expressão possível da raça humana!
Concordo com seu título: Já Chega!
Have a nice wednesday!

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

Oi, Cristiano:
Nunca vi desempregado madrugador... Durante o dia de hoje, vou falar umas coisas mais no Facebook e repercutir em outra postagem: mesmo tema, figurinhas carimbadas. Meu ânimo com o Brasil é um ioiô: às vezes entrego os pontos e outras tantas sigo pensando em uma forma de ajudar a mudar a situação em que nos encontramos. Em que me encontro há quase 70 anos. Seguir pensando tem suas vantagens: não faz muito que lancei aquela diatribe contra meus parentes, amigos e professores que me levaram a acreditar que este entreposto comercial europeu no Atlântico Sul pode portar um estado de fachada. Às vezes acorre-me a ideia de que uma mudança radical precisa ser feita apenas uma vez: uma vez feita, está pronta para sempre. Com sorte!
DdAB