sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Macroeconomia à Antiga


Querido diário:

Olha o que andei pensando lá por 1989 ou 1992. Um modelo de funcionamento da demanda por trabalho, passível de estimativa econométrica desde que solucionada a especificação, pois -já veremos- W e YD são parte e todo. Este modelo, quando eu conversava com Cristiane Dri em Floripa lá pelo 1998, meu último ano naquela cidade/universidade, tendo em vista sua monografia de graduação, vi que ela também intuía coisas nesta linha. Não a orientei, não lembro se ela fez algo nesta linha.

Modelo: a taxa de salário nominal da economia é função do número de trabalhadores e da demanda agregada. À medida que a demanda agregada cresce, a curva W vai para a direita e, com ela, também cresce o taxa de salário, ceteris paribus.

Há algum tempo, fiz aqui um exercício até mais refinado que aquela intuição de modelagem: o valor adicionado é função do número de habitantes. Não que esta seja a verdade absoluta, mas há razões para crer que ela fortalece o modelo que hoje aqui apresento como tendo pedigree macroeconômico.

DdAB
A imagem é daqui. Procurei no Google Images a expressão "Proletários de todas as terras: uni-vos". e achei esta imagem. Um site de um anticomunismo que chega a ser divertido por sua naiveté. Olha um exemplo: "O poder judiciário, representado pelos onze convocados pelo PT para a seleção do judiciário (STF), julgará sempre como válidas todas as decisões arbitradas pelas Mesas de Diálogo, também designadas pelo Camarada Secretário Geral." Pode?

Nenhum comentário: