quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Desperdício: toneladas de sementes

querido blog:
tem semente que não dá cria. em geral, as frutas modernas, por exemplo, sofreram tanta mudança que é rara a possibilidade de pegarmos uma laranja, retirarmos-lhe a semente, enfiarmo-la na terra e vermos brotos surgirem-no mundo... e tem semente que, em não dando cria, é supérflua dentro da fruta. ou seja, as frutas se dividem em dois tipos: as de comer e as de outros fins. as de comer não precisariam de sementes, pois não comemos sementes de laranja, uva, melancia, abacate, e por aí vai.

ocorre que a seleção genética permitiu vermos bergas e laranjas sem sementes, especialmente as frutas disponíveis aqui pelo hemistério norte. mas ontem, distraidamente, dedicava-me a devorar uma laranja e, all of a sudden, passei o dente numa semente. ou melhor, havia uma semente ineficiente (pois não daria em nada se fosse plantada). também há uma vintena de anos, passo dente em grãos de uva e vejo (taste) sementes em algumas e sua ausência (non-taste) em outras.

sempre que encontro uma bergamota montenegrina fazendo-se acompanhar de mais de 200 ou 300 sementes, fico pensando no que seria da civilização brasileira se os custos de sua produção (multiplicado pelo número de bergas colhidas) economizassem em transporte, volume de armazenamento, e tudo o mais, quilos e mais quilos de polpa da fruta, ao invés da desagradável (ao tato e à integridade dental) sementes. custos de reciclagem de dejetos do lixo urbano. uma perdição. até quando? vamos lançar a campanha: pela hibridização das frutas com semente, transformando-as em palatáveis. neste sete de setembro, já vou dizendo: acho que não vai pegar.
DdAB
p.s.: imagem daqui. veja o blog. coma a geléia, evite a semente. fique para semente. festeje a pátria. critique os políticos: use o mote: "abrace a política: sufoque o político". também acho que não vai pegar. que tal o seguine: "pegue a política: apague um político"?

3 comentários:

Tania Giesta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tania Giesta disse...

...hoje filosofo: pressões economicas são sempre um movimento interno e começa de dentro para fora...é essencial muito treino para colocá-las em pratica e obter sucesso!

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

visão microeconômica interessantíssima interessante! também poderia dizer que é a visão endogenista.
DdAB