terça-feira, 8 de maio de 2018

Talo, Ciro, Moisés, Lula e Myself...


Querido blog:

Tipo as 21h00 de 5 de maio corrente, Talo Pereyra escreveu um comentário a outro comentário sobre sua postagem elogiando a possibilidade eleitoral de Ciro Gomes para encaminhar a solução do imbroglio político-eleitoral em que vivemos. Eu acompanho o Facebook com mais zelo com que o faço com relação a Zerro Herra, por razões óbvias. E disse isto, pois não posso deixar de registrar haver opiniões contrárias, no próprio Facebook a este encaminhamento de Talo.

Ocorre-me em particular a posição de Moisés Mendes, que já se declarou capaz de ser candidato a deputado, caso o PT assim o sugira. E volta e meia insiste na ardente defesa de nosso presidente Lula, que ainda não abriu mão da crença na possibilidade de ser candidato a presidente, cabendo-lhe, neste caso, suceder o velho Michel (Fora) Temer. Moisés acha que encaminhar alternativas petistas à candidatura de Lula é ser conivente com o golpe que afastou do poder a presidenta Dilma e trancafiou Lula, com base em um julgamento pueril.

Pois eu sou mais a posição de Talo, com mediações. A justificativa de Talo é boa e, por isto, a reproduzo no que segue. De minha parte, não digo que já esteja decidido a votar em Ciro, que tem lá sua história de inteligências e burradas. Mas já revelei considerar que Lula tem, há muito tempo, perdido a oportunidade de mostrar-se útil para as esquerdas. Ele devia ter escolhido o candidato a vice-presidente em sua chapa e, com isto, se fosse impedido, já saberíamos qual seria o candidato ao cargo de presidente.

Pois então. Tá aqui o que diz Talo:

[...] Às vezes é preciso (um partido) dar um passo para o lado. O perigo da direita vencer é real. Penso que Ciro, se vencer, poderia pacificar um pouco as coisas. Haveria então 4 anos para reorganizar, depurar o corrompido e voltar em melhores condições. Companheiros do PT mais "de esquerda" declaram preferir Manuela ou Boulos. Assim ficam (de um ponto de vista ideológico) com suas consciências tranquilas. Mas creio que, na remota hipótese de uma vitória eleitoral de Boulos ou Manuela, o "baixo clero" os devoraria em dois toques. Não durariam seis meses. Mas o Ciro não seria moleza... Tem culhão e experiência para enfrentar essa patuleia. O fiel da balança (mesmo preso) continua sendo Lula, que deve estar refletindo profundamente. Gleice, Linderbergh, e outros, tem dado declarações emocionais. Mas na hora do "pega pra capar", a racionalidade irá prevalecer. E Lula sabe que se a direita vencer, as chances de um indulto ou absolvição são nulas. Sobre o assunto de que se houver uma brecha o exílio no Uruguay pode ser uma alternativa, concordo inteiramente. A nos cabe não permitir que chegue ao poder um oportunista ou aventureiro ou coisa pior. Não devemos errar, pois nesse caso nos entubam por 20 anos.

Minha posição segue sendo baseada numa pueril árvore de eventos do "jogo da eleição e Lula". Parece óbvio que um processo de indução para trás terá, já que não sabemos o final possível, algumas possibilidades de desfecho:
.a Lula foi eleito presidente da república
.b Lula não foi eleito presidente da república.
.c Lula teve aliados dando um golpe de estado e o empossando como presidente da república
.d não se realizaram eleições
.e etc.
Não é difícil pensar um pouco mais e exaurir todas as possibilidades. Olhando de volta para cada uma delas, vai ficando mais fácil entender o que deve ser feito hoje em dia. Por exemplo, se a hipótese "a" ocorreu, então saberemos o nome do candidato a vice-presidente eleito com ele. No caso de "b", abre-se novo ramo da árvore original, com candidato apoiado por Lula ou contra sua preferência. E assim por diante.

É fácil entender que no mínimo aquela ideia de Lula já ter, há muito tempo, indicado o candidato a vice-presidente em sua chapa já devia ter sido implantada há muito tempo...

DdAB
P.S. O que espero jamais ocorra é uma chapa Ciro-Requião. Já ouvi falar e tenho simpatia por outra Ciro-Haddad. Também têm pedigree as candidaturas de Boulos (entrou no partido errado) e Manuela (tá num partido estranho).

P.S.S. E tem o artigo intitulado "PT: construindo uma nova derrota?" de autoria de Aldo Fornazieri e publicado aqui.
abcz

2 comentários:

Talo Pereyra disse...

Grato pela deferência de reproduzir o meu texto e fico ao seu dispor para outras oportunidades. Recentemente dei à luz um que se intitulou "A Globo quer um Macri" que tal vez seja do seu interesse e que desde já submeto a sua exegese. Abraços.

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

Duplamente grato, Talo. Vou procurar imediatamente.
DdAB