sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Sérgio Moro: um bicho muito louco


Querido diário:

No outro dia, falei muito enrustidamente em minha recente viagem a Londres. E brinquei que a aventura foi "expensive". E obrigo-me a registrar a piada do brasileiro que viu a loja Marks and Spencer e leu "marcas expensives", e nunca lá entrou. Pois eu entrei, almocei, comprei roupa, essas coisas. Em compensação, em outro local, adquiri o livro:

BURNS, Tom (2014) Our necessary shadow; the nature and meaning of phychiatry. London: Penguin.

Em compensação suas páginas 256 e 259 evocaram nosso estripador, o afamado juiz Sérgio Moro:

Um problema específico neste processo é que os profissionais militantes acreditam que a repetida negação do trauma pelo próprio paciente é evidência confirmatória de repressão. Na intensificada busca por provas, eles involuntariamente colocaram ideias nas cabeças dos pacientes. Vários "anéis pedófilos" fictícios foram sugeridos por questionamentos prolongados de crianças durante as quais lhes foram impingidas falsas lembranças. Apesar das terríveis consequências desses erros, nunca houve dúvida de que os profissionais envolvidos foram induzidos pelas mais puras intenções; muitos anos depois, alguns profissionais ainda acreditam que ter adotado tais ações no melhor interesse das crianças.

Sérgio Moro e seus procuradores trazem-me evocações dos afamados julgamentos de Moscou lá do stalinismo. Mas aqui, todo este tonzinho de um otimismo um tanto irresponsável e incompatível com os dias que correm origina-se de minha experiência de vida, que já vivi outros maus tempos do Brasil, merecendo destaque

.a a turbulência que cercou os últimos tempos do governo João Goulart, culminando com o golpe militar de 1964,
.b a turbulência que cercou o governo Collor e sua deposição
.c a atual turbulência que começou com as manifestações de 2013, e levaram à deposição da presidenta Dilma, mas sem solução, dado o encaminhamento dado pelas lideranças políticas de decretar-lhe o impeachment.

Tenho dito que "Juiz Moro é oximoro", pois as ações desse cara não parecem cobertas de sensatez para um observador de meu porte. Tenho dito, ademais, que atropelos institucionais não se resolvem com atropelos institucionais.

DdAB
Original:
[...] A particular problem in this process is that convinced practioners believe that repeated denial of the trauma by the patient is itself confirmatory evidence of repression. In their intensified search for proof they unwittingly put ideas into the patients' heads. Several fictitious 'paedophile rings' were implicated by prolonged questioning of children during which false memories were induced. Despite de awful consequences of these mistakes there was never any doubt that the professionals involved were driven by the purest of intentions; many years later some still retain their belief that they acted entirely in the children's best interest.
A tradução lá de cima é uma edição minha sobre o original que me deu o Google Tradução! Disse certa vez o Bill Gates que um software para gerar boas traduções levaria 100 anos. Acho que se enganou. Esta que agora o Google fez leva minha nota 7 ou 8. E olha agora botar essa frase anterior em inglês: This one that Google did now takes my grade 7 or 8. Nem eu escreveria assim...

Nenhum comentário: