segunda-feira, 6 de março de 2017

Sartori e a Página 256


Querido diário:

Sartori, José Ivo (69 anos) é o governador do Rio Grande do Sul que se elegeu acenando com um programa de governo de "vamos examinar o problema depois das eleições". E até agora está examinando, ao que parece.

E a página 256 é do livro

SOUZA, Jessé (2015) A tolice da inteligência brasileira; ou como o país se deixa manipular pela elite. São Paulo: LeYa.

digo, a página 256 diz:

"[...] Uma ideia absurda ganhou o coração e a mente de todos indistintamente, independente de coloração política, e é hoje como uma espécie de 'segunda pele' de todo brasileiro. Ela se presta antes de tudo ao 'sequestro da política' pelos donos do dinheiro. Em fases de crise, como agora, quando a 'farofa é pouca e todo mundo quer o pirão primeiro', então os mais ricos querem cortar os investimentos sociais e ficar com o Estado só para eles. E esta história tem larga tradição entre nós. Ela funciona do mesmo modo desde o início do século XX - quando o Brasil começa a se transformar em sociedade urbana e industrial - e reúne os mesmos elementos desde o princípio: imprensa, setores moralistas da classe média e interventores da ordem constitucional."

Destaco: "os mais ricos querem cortar os investimentos sociais e ficar com o Estado só para eles". Não é a cara do governo Sartori? Troca um jardim botânico por um loteamento de luxo, troca um jardim zoológico por um hotel com seu campo de golfe, troca um produtor de estatísticas por um quartinho no centro administrativo, e por aí vai. Jessé Souza não é genial? Sartori não é trivial?

DdAB
Imagem daqui. Olhei por cima o artigo ilustrado pela imagem que nos ilustra. Dá gosto ver o enorme desgosto que ele provocou em mim. Parece que a leitura do livro de Jessé Souza deve tornar-se obrigatória para quem quer escrever para o público, ou melhor, é bom lê-lo para não dar atestado de ingenuidade, pois a denúncia está lá: a grande tolice é não entendermos que o verdadeiro problema do Brasil é a espantosa desigualdade.

Nenhum comentário: