sábado, 25 de março de 2017

Rosane de Oliveira do 13


Querido diário:

Sabe, sempre soube, meu leitor diuturno que leio Zero Hora diariamente e, por isso mesmo, marco-a de cima e a chamo de Zerro Herra. Talvez haja sadismo de minha parte, pois vejo volta e meia arremetidas que, se não fazem todos tomarem-na por palhaça nos dias que correm, vão fazê-lo em qualquer futuro mais remoto que queiramos tomar como parâmetro. Aquela macacada do futuro vai rir de todos nós, não apenas daquela turma que criou uma definição ad hoc para jornalismoEra isto?

É que a cronista política Rosane de Oliveira, na página 12 do jornal deste fim-de-semana tem como seu artigo principal uma encrenca que responde pelas seguintes garrafais: "Procura-se um Candidato para Presidir o Brasil". Gelei, degelei, tornei a gelar, pois entendi, há pelo menos seis meses, haver um candidato que possivelmente será imbatível e que atende pelo nome de Luiz Inácio Lula da Silva, cognominado desde a tenra infância como Lula. Senão vejamos:

A um ano e meio da eleição, o Brasil vive o auge do desencanto com a política e não tem favorito para a cadeira de presidente da República.

Não falei que gelei? É que tenho visto as pesquisas divulgadas pelos tradicionais órgãos, cada vez mais escassas, dando absoluto favoritismo a Luiz Inácio Lula da Silva, como disse eu, cognominado de Lula, ele-u-lu, ele-a-la. Pulei uns trechinhos e me deparei com:

   Se a eleição fosse hoje, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), seria forte candidato a disputar com o ex-presidente Lula (PT) a ocupação desse vazio - opina a socióloga [Elis Radmann, do Instituto Pesquisa de Opinião].

Não falei que o negócio estava fazendo-me gelar e degelar repetidas vezes? Há um vazio? Só posso ser sádico em perseguir alguma coerência já nem digo entre crenças distribuídas no tempo, mas nos números daquelas pesquisa do jeito como são feitas. Existe um vazio? Com Lula ascendendo na percentagem de atração de votos, sempre em primeiro lugar? Existe um vazio, sim, mas não pela hipótese que levantei. Já nem sei se estou no gelar ou no degelar, pois mais umas sentenças adiante, lemos:

   O primeiro lugar de Lula nas pesquisas de intenção de voto também encontra explicação nas sondagens qualitativas, em que os especialistas mergulham na cabeça do eleitor. Elis [Radmann] atribui o bom desempenho de Lula em meio ao tsunami da Lava-Jato a um conjunto de fatores: a memória dos programas sociais bem-sucedidos, a capacidade de dialogar com o eleitor de baixa renda, a falta de concorrentes e o fato de não ter sido preso. Como não há contra Lula achados como os que surgem diariamente contra outros investigados, como joias, contas no Exterior ou malas de dinheiro, o eleitor do ex-presidente tende a comprar o discurso dele de que está sendo perseguido.

Pobre jornalismo, pobre de mim, que me vejo mimetizando comportamentos de sádicos. Enfim vemos no texto de Rosane Oliveira que Lula é, afinal de contas, favorito para as eleições presidenciais de 2018. E mais. Se não há mesmo achados como os que surgem diariamente contra outros investigados, como joias, etc., etc., e vemos uma investigação interminável contra ele, só pode ser que ele tem mesmo razão em declarar-se perseguido. Ah, os pedalinhos... Mais uma, para concluir:

O vazio [de candidatos] poderá ser ocupado por um nome que ainda não surgiu no cenário.

Então não estamos falando de conjunto vazio vazio de vasabarros. E sim de um conjunto vazio de antagonistas à candidatura de Lula. é jornalismo? É sadismo de minha parte? É sábado? A saída é a bebida!

DdAB
P.S. a imagem é para deixar claro que nem toda Rosane de Oliveira é de direita. A candidata de Lontras registrada sob o número 13111 tem a ver com Lula.

Nenhum comentário: