quinta-feira, 11 de agosto de 2016

O Impeachment de Dilma, a Ré


Querido diário:

O presidente interino Michel Temer recebeu, nesta quarta-feira, Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, que há duas semanas teve denúncia do Ministério Público Federal (MPF) aceita pela Justiça, em investigação de manipulação de julgamentos do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). Pela manhã, Trabuco esteve com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ao lado de outros colaboradores do Instituto Talento Brasil.

Além do presidente do Bradesco, foram ao gabinete presidencial outros parceiros do instituto, como Jorge Gerdau (presidente do conselho do grupo Gerdau), Vicente Falconi (presidente do conselho da Falconi Consultoria), Pedro Passos (copresidente do conselho da Natura), Pedro Moreira Salles (presidente do conselho Itaú/Unibanco) e Carlos Alberto Sicupira (3G Capital - grupo Ambev/Inbev).

Trabuco recusou convite para ser ministro da Fazenda da presidente afastada Dilma Rousseff no fim de 2014. O ministro escolhido [por determinação de Trabuco] foi Joaquim Levy. Luiz Carlos Trabuco foi indiciado pela Polícia Federal no fim de maio, com outros nove executivos. Há duas semanas, um juiz da 10ª. Vara Federal do DF aceitou a denúncia do MPF. Eles foram indiciados por tráfico de influência, corrupção ativa, corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.


A Gerdau, representada na reunião com Temer por Jorge Gerdau, também é investigada pela Operação Zelotes, suspeita de ter pago propina para manipular resultados no Carf em ações entre 2010 e 2012. Os executivos da Gerdau e do Bradesco são alvo de processo em ação coletiva nos Estados Unidos.

Ok, ok, o cabeçalho desta notícia que colhi no Jornal do Comércio, página 8 da edição de hoje é "Temer recebe Trabuco no Palácio do Planalto". E tu deve ter notado que -embora eu não tenha dado destaque- aquela redação jornalística que acabamos de ler não é minha, mas precisamente matéria não assinada na página "Economia" e capitulada por "Relações Institucionais". A negadinha afeita à teoria da escolha pública sabe que estamos falando de um presidente da república que recebe um lobby formado por réus. Mas, no mundo das sombras, é a presidenta Dilma Rousseff quem vai ser condenada.

DdAB
P.S. O desenho lindinho que nos ilustra capturei-o (roubei-o?) da internet e é de fácil rastreamento, diferentemente dos crimes de colarinho branco no Brasil. Trata-se de resposta do programa a meu pedido de "Ali Babá", e nem precisei falar nos 40 ladrões. O punctum -diria Roland Barthes- é aquele urubu informando que o mundo das sombras, no governo Temer, é mesmo a realidade.

Nenhum comentário: