quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Ministro Escalafobético & a Previdência Social


Querido diário:

Ler jornal, nos dias que correm, é um teste para o autocontrole. Página 2 do Jornal do Comércio, seção "Frases e Personagens":

O déficit da Previdência no ano passado foi de R$ 86 bilhões. O déficit da Previdência neste ano será de R$ 146 bilhões. Para o ano que vem, está projetado déficit entre R$ 180 bilhões e R$ 200 bilhões. Como não vamos aumentar impostos, não vamos cobrar mais nada da sociedade, essa diferença temos que tirar de algum lugar. Também [que já dera outra declaração escalafobética] Eliseu Padilha. 

Eliseu Padilha, bem sabemos, é ministro chefe da casa civil do governo de Michel Temer. Temer, como sabemos, é parte ativa de um complô que se vale de interpretações da constituição e dos bons costumes para aboletar-se no poder, seguindo o programa PSDB-PMDB, que não ganhou nenhum voto na eleição de 2014.

Não quero estender-me, pois mais tempo dedicado ao tema iria favorecer minha perda de controle, de autocontrole, digitando no Excel cada vez com mais força, até -talvez- chamar a atenção do próprio Bill Gates. É que fiz o seguinte cálculo:

Déficit médio das estimativas para 2017: R$ 190 bilhões.
Déficit anunciado pelo controverso ministro em 2015: R$ 86 bilhões
Diferença 190-86 = R$ 104 bilhões.

Ora, a pensão máxima que a Previdência paga no Brasil é de cerca de R$ 5 mil reais. Ora, ora: dividindo R$ 104 bilhões por R$ 5 mil, ocorre que chegamos ao número de novos pensionistas: 20,8 milhões, ou seja vinte ponto oito milhões de novos pensionistas. 20.800.000. 21 milhões vão entrar na aposentadoria ganhando o máximo que a previdência paga? Recebendo no topo, isto é, tendo contribuído com cerca de R$ 1 mil pelos últimos dez anos? Sabemos que isto representa uma fração de 10% da população brasileira? E um quinto do emprego total, inclusive o sem remuneração?

Que diabos de ministro é este, que diabos de assessores irresponsáveis são os dele? Que diabos de governo é este da aliança PMDB-PSDB? Que diabos de país é este em que vivemos sob os auspícios do recalque de Aécio Neves por ter perdido aquela eleição? Que diabos de comentarista sou eu, que fico pensando nessas barbaridades, dando-lhes atenção?

DdAB
Fonte da imagem aqui.

Nenhum comentário: