terça-feira, 30 de agosto de 2016

Da Baixaria


Querido diário:

Confesso que tirei o time há alguns dias. Mal vi e tomei contato com a sessão do senado que -dizem- teve um ou dois tópicos de dignidade a mais relativamente ao da câmara dos deputados. Tomo a referência da senadora da RBS/RGS, sra. Ana Amélia Lemos.
Disse-nos a senadora que a maior prova da inexistência de golpe é que a presidenta Dilma compareceu ao senado. Eu fiquei abismado, pois busquei analogias com o tempo em que a própria oradora estava "lotada" no gabinete de seu finado marido (emprego sob a guarida de parente no setor público é...) e havia eleições periódicas para militares: Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo.
Aquelas eleições, para o entendimento de muita gente, atestavam a qualidade da democracia no Brasil. Hoje é quase unânime a referência àqueles tempos como ditadura militar. Agora tem um golpe civil, como o/s de Getúlio Vargas.

DdAB
Imagem: aqui.
P.S. busquei uma foto para ilustrar "baixaria", não deu coisa boa, pois já estamos acostumados no Brasil. Aí procurei o mais baixo nível do que posso conceber como baixaria, o inferno. E veio este velho Hades, que -segundo ouço- liberou Temer por um século.

Nenhum comentário: