quinta-feira, 17 de março de 2016

Revolução dos Bichos


Querido diário:

Cabral e Orwell têm algo em comum: criaram mundos caracterizados pela violência. O primeiro fez seu projeto de forma que esta fosse cíclica, sendo eu testemunha das mudanças em meu horizonte de vida: fechamento do partido comunista em 1948, revoltas de Jacareaganca em 1955 e a de Aragarças em 1959, movimento militar em 1964, impeachment de Collor em 1992 e agora o que temos visto. Para Orwell, o mundo acaba com o maringaense Napoleão e seus partners, no que o autor britânico enganou-se, pois -no final- o próprio Stálin faleceu, um dia simplesmente faleceu. Dou mais razão à terra descoberta por Cabral, pois -como sabemos- não há mal que sempre dure, nem bem que senão se acabe.

Para fazer tudo muito mais absurdo, ontem -ao chegar em casa, alquebrado pelas extenuantes atividades a que o mundo moderno submete um aposentado- vi estampado em todas as ruas por onde passei um abaixo-assinado por todos os animais de estimação da cidade:

Queremos autonomia administrativa, funcional e financeira.

Fiquei pensando em que será de meu orçamento se, realmente, meus dois peixinhos começaram a determinar não apenas o tipo de ração que lhes administro, mas o tamanho do aquário, a marca do baralho de pôquer, os sapatos, os automóveis, iates, e tudo o mais que se disponham a comprar. E promoções, promoções galore. Todo mundo será, no devido tempo, delegado. Depois, surgirão os delegados nível I, nível II, até o final dos números romanos. Depois, teremos a classe dos delegados I, II, III, ... sufixo A. Outra greve fará surgir o sufixo B. Incorporar-se-á o modelo Excel, com delegados de letras A, B, C até XFG e de número I, II, III, até 1.048.579 (em romano, claro), como sabemos, um número divisível por 7, também por 163 e ainda outros.

Para deixar claro que o marcador que uso como "Economia Política" não tem nada a ver com estas considerações. Em especial até coloco uma consideração de caráter pessoal, a saber, sempre que um número não é divisível por 3 já vou pensando logo que é primo. Mas nunca fizera exercícios com um número tão grande. E, se aquele 1.048.579 do Excel de c.2013 não é primo, imagino que ele terá não apenas os dois números que indiquei, mas infinitos outros. Não é mesmo?

P.S. o segmento de foto que nos ilumina é conhecimento comum: a Xuxa.
P.S.S. Eu, que sou bom na tabuada de multiplicar até 12 ou 13, titubeio nas divisões de números grandes, digamos, 1.048.579 divididos por 1.964. E, em romanos, não sei dividir nem, por exemplo, IV/II. Vejamos: iniciaria simplificando, V/I, mas não sei...
P.S.S.S. Claro que a idade, mais que o estudo da matemática, ensinou-me que essa suposição sobre o número 3 dividir todos os demais números maiores que ele pode dar galho, pois tem gente que é divisível por 7, outros por 11, 13, 17, sei lá.

Nenhum comentário: