segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Ulysses: o pináculo


Querido diário:

Haverá algo mais Buck Mulligan que alçar-se ao pináculo da escada? Era um bobalhão, pelo menos naquela manhã de 16 de junho de 1904 em Dublim. De sua parte, o termo 'pináculo' encontra-se (outro, claro) na página 205 de

SONTAG, Susan ( ) O amante do vulcão. São Paulo: Companhia das Letras.

implicando que a primeira sentença do "Ulysses" passe a deixar-se ler como:

Majestoso, o fornido Buck Mulligan aproximou-se do pináculo da escada, portando uma vasilha de barba em que uma navalha de barbear entrecruzava-se sobre um espelho.

O que pude fazer em benefício próprio, quando visitei Dublim em 2013, foi olhar atentamente para alguns exemplares do "Ulysses" colocados nas vitrines de algumas livrarias e jurar que um dia iria lê-los. O que fiz, até agora, foi ler pilhas de introduções e comentários e apenas a tradução brasileira de Bernardina da Silveira Pinheiro. Naturalmente, andei tirando fotos do autor em alguns lugares da cidade.

DdAB

Nenhum comentário: