domingo, 31 de maio de 2015

Três Visões sobre Etiqueta


Querido diário:

Tento fazer neste blog "postagens diárias ou quase". No mundo mundano, tento ler o jornal Zero Hora "diariamente ou quase". O jornal de domingo é feito no sábado, mas eu leio no domingo mesmo. Para poder ler um jornal por dia. Se lesse no dia, seriam dois no sábado e nenhum no domingo. Se é que a tabuada de adição e as decomposições aditivas ainda funcionam, o que me leva a duvidar.

E por que duvidaria? Pois há muitas visões sobre etiqueta. A mais escorreita delas é a da cronista Célia Ribeiro, que escreve há muitos, muitos anos, nessa mítica Zero Hora. Por razões que volta e meia levam-me a filosofar sobre a natureza humana, leio-a tão regularmente quanto posso e, além disso, leio-lhe os livros, tenho-os cinco. Não que sejam apenas cinco, mas tenho os cinco que tenho. Epa!

A visão de Célia sobre etiqueta não está em questão nesta postagem. O que está e a do novo cronista Roberto Romano e de Vladimir Ilianov Lenine. No caderno PrOA, página 10, Romano escreve, com visível aprovação, e eu cito um tanto fora de contexto:

'Duas coisas a burguesia nos legou, e delas não podemos abrir mão: o bom gosto e as boas maneiras' (Lênin).

Pensei: Lênin disse isto? E aquela tirada sobre os sonhos?
[Sonhos, acredite neles! É preciso sonhar, mas com a condição de crer em nosso sonho, de observar com atenção a vida real, de confrontar a observação com o sonho, realizar escrupulosamente nossas fantasias.]
E concluí, o velhinho era mesmo um romântico mal-ajambrado.

Depois, por isto mesmo, veio-me à mente outra frase que reputo de extraordinária. Trata-se agora do gramático Domingos Paschoal Cegalla:

Maldizer da Gramática seria tão desarrazoado quanto malsinar os compêndios de boas maneiras só porque preceituam as normas da polidez que todo civilizado deve acatar. 

À extraordinária visão de Cegalla, nada mais restou-me do que acrescentar a terceira reflexão que hoje trago a estes Escritos, agora falando de uma extraordinária descoberta de minha própria autoria: 

E vice-versa.

Então seriam apenas três opiniões mesmo?

DdAB
Imagem aqui.

Nenhum comentário: