quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Varoufakis e o Futuro da Esquerda


Querido diário:

.a. achei que, em linhas gerais, a crítica de Marta Suplicy ao status quo brasileiro tinha tudo a ver, conforme referi no e-mail de ontem, en passant, como diria elle-mêmme (que gosta ou gostou de um francesinho...);

.b. hoje Zero Hora tem um artigo em tom de petardo contra a vergonha que o brasileiro contemporâneo sente por sua impotência ao lidar com um estamento vergonhosamente escandaloso que domina a política nos três poderes que constituem a república (aqui está o link para a crônica de hoje de autoria de Martha Medeiros, na página 6 do jornal);

.c. o mesmíssimo jornal (página 14) tem a notícia do primeiro sobrenome do título desta postagem: Varoufakis. Yanis Varoufakis, que conheço desde o livro que já vou referir, mas antes refiro

.c.bis usei o livro enquanto professor do mestrado em economia da PUCRS há quase dez anos, que por lá fiquem... Para alegrar a moçada, costumava referir-me a ele como H&V, o que denotava carinho, pois muito amei:

HARGREAVES-HEAP & VAROUFAKIS, Yanis (1995) Game theory; a critical introduction. Nova York: Routledge.

.d. e a notícia do jornal diz que Varoufakis tornou-se ministro das finanças da Grécia, com a ascenção ao poder do PSOL-grego (hehehe). Muito vibrei com a vitória da esquerda, seja ela qual for, afinal, não acabei votando na Dilma? Ladrões de esquerda valem mais que ladrões de direita, eu disse. Mas, espero, na Grécia não haverá ladroagens.

.e. além de mostrar na imagem de hoje que Varoufakis e seu blog constam há tempos de meus preferidos de lapela, lembro que naquele hai-kai referi que temos as luzes do bairro Liberdade. Pois é de liberdade, de economia e política que tratamos por aqui.

.f. entendi que esta vitória da esquerda na Grécia é o prenúncio de uma espécie de "volta a si" das populações mundiais que se deixaram envolver por já quase 50 anos de liberalismo. E uso a palavra em  substituição a "neo-liberalismo". A liberdade, como diz o bairro, é bom, mas liberalismo implicando desmantelamento do estado de bem-estar só pode dar problema. Duvido que os gregos sejam tão açodados a ponto de querer negociações com o exército islâmico, mas entendo que chegou a hora de se pensar na teoria econômica: qual é a política econômica que leva ao emprego/desemprego, pib crescente/decrescente e inflação/estabilidade.

.g. e metê-la em ação.

.h. hoje Yanis Varoufakis diz em seu blog: Finance Ministry slows blogging down but ends it not. No outro dia, ele anunciava que iria candidatar-se a deputado. O jornal que às vezes chamo de Zero Herra esqueceu de dizer naquela notícia se ele foi eleito!

DdAB
P.S. No processo vim a ver que ainda não adquiri a edição tão modificada que os autores alteraram até o subtítulo: Game theory; a critical text. Gostei, pois tínhamos meu Teoria dos jogos; jogos de estratégia, estratégia decisória, teoria da decisão e passamos a ter, meu com Brena Fernandez, Teoria dos Jogos; crenças, desejos, escolhas. Como bem sabemos, fala-se mais em "psicologia", sem esquecer as "ciências empresariais", cá em nosso caso. No de H&V, se bem me expresso, só sei que nada sei (ou, como diz o Google Tradutor: Απλά ξέρω ότι δεν ξέρω τίποτα. Cada uma!).

Nenhum comentário: