sábado, 10 de janeiro de 2015

Solidariedade Egoísta


Querido diário:

O que deveria induzir a sociedade a, por exemplo, cuidar do déficit de atenção de um menino de rua? Ou, que seja, um velho de rua, ou o que quer que seja? O caderno Vida de Zero Hora de hoje, página 8, fala que um adulto com déficit de atenção tem os seguintes sinais:

. falta de foco,
. atrasos frequentes,
. rotina desorganizada
. dificuldade de manter relacionamentos,
. ansiedade e estresse,
. problemas ao dirigir,
. perda de prazos,
. dificuldade sociais e
. incapacidade de relaxar.

Fiquei compadecido dessa turma de abandonados pela vida e pela sociedade. E fiquei imaginando -com base no conceito de custo de oportunidade- o que seria da vida do menino de rua se o governo que elegemos para cuidar de nossos interesses lhe desse umas quatro ou cinco ritalinas por dia. Quase todos os itens me preocupam, mas pode alterar até minha existência, por exemplo, sua dificuldade de manter relacionamentos (por exemplo, passar a assaltar-me, ao invés de colher as migalhas que lhes deito), dificuldades sociais (não pedir desculpas ao esbarrar em minha bolsa), etc.

Meu exemplo é quase sempre o mesmo: quanto eu pagaria a ele a fim de que ele cuidasse bem de seus bisnetos e, com isto, evitasse que o tetraneto do prefeito seja assassinado daqui a uns 50 anos. E quanto o governo deveria pagar por isto? Não tem mercado para isto e, parece, nem a comunidade nem o estado pensam que esta é uma troca passível de aliviar dores e mortes do mundo.

DdAB
Imagem aqui.

Nenhum comentário: