sábado, 20 de dezembro de 2014

Relações Institucionais Brasileiras


Querido diário:

Não existe qualquer singularidade brasileira quando se fala de pouca-vergonha. Desta parte, "não existe pecado do lado de baixo do equador". De outra parte, não devemos esquecer que, no resto do mundo, os recortes não são substancialmente diferentes. Ontem reclamei da incompetência do poder judiciário. Hoje reclamo da desfaçatez dos réus. E não estou falando em réus do caso do roubo das merendas escolares, da soda cáustica adicionada ao leite, os selos da assembleia legislativa estadual (só fechando!).

Falo deste espetáculo circense denominado petrolão. O jornal de hoje na página 10 fala na lista dos 28 políticos denunciados por um daqueles gangsters que declaradamente saqueou/saquearam a Petrobrás. Lá naquele livro de contabilidade social, nomeadamente,

BÊRN I, Duilio de Avila & LAUTERT, Vladimir (2011) MESOECONOMIA: lições de contabilidade social; a mensuração do esforço produtivo da sociedade. Porto Alegre: Bookman.

dizemos que as organizações econômicas podem ser agrupadas em três unidades: produtores, (locatários dos) fatores e instituições. Aqui, no que segue, as instituições são sinônimas de organizações, de arranjos mantidos entre os componentes de uma sociedade humana (humana?). Neste mundo, as relações são institucionais, mesmo as relações entre produtores e representantes das famílias. Fábulas, contos apólogos.

Na página 10 de Zero Hora de hoje, listam-se 28 políticos cujos nomes foram denunciados pelo delator, engenheiro Paulo Roberto Costa. O Rio Grande do Sul teve a honra de figurar uma vez. O jornal diz o "contraponto" do acusado. Destaco nosso premiado e alguns outros institucionalistas.

JOSÉ OTÁVIO GERMANO (PP/RS): "admitiu que teve dois encontros com Costa para assuntos 'institucionais'". Ele também esteve envolvido no caso do Detran (aqui), declarando-se inocente da acusação de ter ajudado a afanar R$ 40 milhões por terem usados provas colhidas ilegalmente. Ele, entre uma acusação e outra, entre uma instituição e outra, vai levando sua vidinha. Só ele envolveu-se em assuntos institucionais?

LUIZ FERNANDO FARIA (PP/MG): "ressaltou que os contatos mantidos com Costa se deram 'exclusivamente por dever de ofício' para o 'tratamento de questões institucionais'". Só ele?

MÁRIO NEGROMONTE (PP/ministro): "em nota, repudiou a citação de seu nome pelo ex-diretor e disse que só tratou com Costa de 'assuntos institucionais'". Só ele?

PEDRO CORREA (PP/PE): "a defesa afirmou que ele cumpre pena no regime semiaberto por ter sido condenado no mensalão e está incomunicável, não podendo se manifestar". Este, felizmente, não declarou-se institucionalista.

RENAN CALHEIROS (PMDB/AL): "afirmou, por meio de nota, que as relações que manteve 'com todos os diretores da estatal nunca ultrapassaram os limites institucionais'". Pode?

SÉRGIO CABRAL (PMDB/governador): "repudiou a menção a seu nome e afirmou que sua relação com Costa sempre foi institucional."

TIÃO VIANA (PT/governador): "em nota, disse que 'não conhece e nunca teve qualquer tipo de relação' com Costa e que 'qualquer ilação' será tratada 'pelas vias judiciais'". Só isto?

VANDER LOUBET (PT/MS): "em nota, frisou que não teve qualquer relação 'institucional, política ou de outra natureza' com Costa e colocou-se à disposição da Justiça".

Só isto? Nem 28 institucionalistas em todo o Brasil? Urge o fechamento do poder judiciário e sua substituição por um contrato emergencial com a empresa júnior de alguma faculdade de direito de algum país amigo e civilizado!

DdAB
A imagem veio daqui.

Nenhum comentário: