sábado, 6 de abril de 2013

Os Sete Orifícios da Cabeça

Querido diário:
Há quase 30 anos, li pela primeira vez o livro "Filosofia da ciência; introdução ao jogo e suas regras", de Rubem Alves, da Editora Brasiliense. Era a quinta edição. Bíblico mistério cercaria o ano da primeira edição. Muita coisa fascinou-me na introdução que recebi naquela oportunidade. E talvez a mais iconoclasta é a seguinte:

H.1 Você vai ver agora um exemplo de como se pensava antigamente sobre o universo. Háverá alguma lógica em tal maneira de pensar?

[e cita o livro de S. Warhft (org.) Francis Bacon: a selection of his works. p.17.]:

Há sete janelas dadas aos animais no domicílio da cabeça, através das quais o ar é admitido no tabernáculo do corpo, para aquecê-lo e nutri-lo.
Quais são estas partes do microcosmos? Duas narinas, dois olhos, dois ouvidos e uma boca. Da mesma forma, nos céus, como num macrocosmos, há duas estrelas favoráveis, duas desfavoráveis, dois luminares e Mercúrio, indeciso e indiferente. A partir destas e de muitas outras similaridades na natureza, tais como os sete metais, etc., que seria cansativo enumerar, concluímos que o número dos planetas é necessariamente sete.

Pois bem, digamos que foi em 2011 que li a segunda edição em português do livro "Filosofia da ciência natural", de Carl G. Hempel, da Editora Zahar (a antiga), sinalizado como duas edições, uma de 1966 (USA) e a outra de 1974 (seria a segunda pela Zahar?). Então, que se vê na página 66? Hempel vem já entusiasmado em seu capítulo 5 (começando na página anterior, ou seja, 65):

O astrônomo Francesco Sizi apresentou o seguinte argumento para demonstrar por que, ao contrário do que seu contemporâneo Galileu Galilei afirmava ter visto com uma luneta, não pode haver satélites circulando em torno de Júpiter:

[e dá como fonte: "Transcrito de Holton e Roller, Foundations of Modern Physical Science, p.160]

Existem sete janelas na cabeça: duas ventas, duas orelhas, dois olhos e uma boca. Do mesmo modo, existem no céu duas estrelas propiciadoras, duas desfavoráveis, duas luminosas e uma só indecisa e indiferente, que é Mercúrio. Daí e de muitos outros fenômenos semelhantes da natureza (sete metais, etc.), que seria fatigante enumerar, concluímos que o número dos planetas é necessariamente sete... Além disso, os satélites são invisíveis a olho nu, logo não podem ter influência sobre a Terra, logo são inúteis, logo não existem.

Há muita coisa. Retórica. Quem estava certo, o Warhft ou o Sizi? Erros factuais não podem ser debitados à retórica. Sizi teria copiado Bacon? Um tradutor negligente? Bacon é mais moço que Sizi?

Fui para a Enciclopédia Britânica made in Paraguay (a made in Italy não deu nada relevante):
Francesco Sizzi, an Italian astronomer who lived during the 17th century, is credited with being the first to notice the annual movement of sunspots.[1]

Então é século 17, né? E o Bacon? Tive que olhar, pois achava que também é. Pimba:
Francis Bacon, 1st Viscount St. Alban,[1][a] Kt., KC (22 January 1561 – 9 April 1626) was an English philosopher, statesman, scientist, jurist, and author

Em resumo, havia um erro certo no livro da Zahar: era Sizzi e não Sizi. Brena Fernandez indicou-me Hempel. Pedro Bandeira indicou o Rubem Alves. Claro que Hempel é mais refinado, mas também passaram-se tantos anos e estou certo de que se enxergo mais longe ao ver o texto de Hempel, isto se deve a Alves, que deu-me respaldo há tanto tempo!

DdAB
Imagem: aqui, com dica para compras... Então segue-se necessariamente um hai-kai:
Galileu se deliciaria
Mas ele pouco sabia
Sobre radioastronomia.

2 comentários:

Bípede_Pensante disse...

Verdade, Professor, é tudo verdade. E no final das contas, eu acho que o Galileu se deliciaria duplamente. Tive que olhar umas três vezes para acreditar que esse telescópio custa só isso. Que coisa mais barata!

... DdAB - Duilio de Avila Bêrni, ... disse...

oi, B.P.
nós, humanos (não só americanos), fazemos parte dos povos astronautas do universo. e nada melhor para aquerenciar nossas crianças com o outer world é mesmo considerar o telescópio um bem de mérito e inseri-lo nos iPads (etc.), permitindo que elas viagem pelo espaço desde tenra idade.
DdAB
Epa, agora estou caindo no marcador "Besteirol".