segunda-feira, 1 de abril de 2013

Desgostos na Economia

Querido diário:
Há muitos anos foi publicado e outros muitos eu li um artigo de um daqueles autores de economia industrial de nome indiano: Bhagwatti, talvez falte alguma letra. Ele pegou o modelo de Bain-Sylos-Modigiani sobre o preço limite e colocou nova variável que reduz o poder de monopólio de uma empresa em formar um preço que barre a entrada de nova concorrência. Diz este conceito que os consumidores, no momento em que percebem terem sido explorados por um fornecedor, têm aquele desgosto que coloquei no título da postagem: um chagrin effect. (Tirei este 'desgosto' do Google Tradutor, pois eu costumava traduzir por 'lamento', nos tempos ativos de professor e quando ministrava disciplinas compatíveis, nem sempre, pois o cerne mesmo é aquele negócio de tamanho da empresa e escala mínima eficiente, para não falar na elasticidade preço da procura).

Estes são os prolegômenos. A postagem mesmo tem a ver com uma notinha que a p.3 de Zero Hora de hoje divulgou. Fala-se de uma leitora do jornal que telefonou ao setor de cancelamento de contas de uma empresa de telefonia (o modelar jornal não diz o nome da empresa, no afã de lançar lama sobre todo o setor, claro). Tentando cancelar um plano, a leitora (no caso, falante) informou sua telefônica que havia ofertas melhores em outras companhias. Parece que entramos no estudo da teoria da contestabilidade. A telefônica (que fala fonada) disse que havia espaço para negociação, pois não queriam perder uma cliente. Ela, leitora do jornal, informou a telefônica que, sim, ela ligara e disseram que não podiam fazer nada. Então a telefônica disse: a sra. deve ter ligado o número errado. Se ligar para os vendedores, eles dirão que não podem. Se ligar para Cancelamentos, como é o caso agora, fazemos a melhoria do plano na hora.

Fosse comigo, eu buscaria a referência bibiográfica completa desse tal artigo do chagrin effect e manifestaria meu desgosto com este tipo de comportamento autorizados pelos governantes brasileiros, mudando de empresa, de qualquer jeito. Principalmente agora que, num aborto político, fizeram regulamentações permitindo que carreguemos o número de nosso celular de uma companhia a outra.

DdAB
Imagem: aqui.

Nenhum comentário: