domingo, 3 de fevereiro de 2013

Dublim, a Capital Oficial do Planeta Terra

Querido blog:
Hoje é dia de festa. Hoje é dia de vermos Dublim e adjacências irlandesas. Ao vir para cá, ainda em tempo, pedi ajuda a meu ex-aluno Christiano Avanegra F.e atual professor, que morou por aqui bem mais tempo do que o Sol gasta para dar um giro em torno da terra, como o faz diariamente ou 365, como procede anualmente. Hoje falarei nas dicas que ele deu e mostrarei as encantadoras fotos e imagens que ele enviou. Há, claro, muita coisa na internet e mais ainda em minha incansável câmera fotográfica. Diz lá, Christiano:

A Irlanda é um país fascinante, existem particularidades importantes para serem apreciadas, sua atratividade deriva-se, em boa medida, do clima. Não devemos esperar grandes museus ou avenidas com a pompa de cidades como Edinburgh ou Paris. Ainda assim, o amor à natureza é tão grande que, prestigiando-o, poderei dar algumas dicas. A cidade de Dublim é bem compacta e todos os pontos turísticos são vistos facilmente apenas com um simples mapa na mão. A cidade não é perigosa logo pode-se caminhar à vontade pelas ruas e ruelas. 


Primeiro vêm os parques, o irlandês adora parques. O Stephens Green é um bom início de passeio, pois é bastante central. Mas particularmente muito me agrada o Parque Merrion Square, localizado em frente a um memorial ao grande Oscar Wilde, visita imperdível.

O Phonenix Park é outro lugar lindo para se visitar. A Igreja de St. Ann´s é o local onde casou-se Brow Stoker, o criador de Drácula, o que deixa um permanente mistério no ar. A Biblioteca da Trinity College é outra visita obrigatória em Dublin. A Christ Church é lindíssima, sua construção datando de 1030.

O Jardim Botânico é muito bonito, apesar de ser pequeno, mas poderemos observar os castores correndo em meio ao público. Existe uma rua chamada Griffity Walk próxima ao Jardim Botânico, esta é minha rua predileta, por ter árvores centenárias. 

Bebericar Guinness no Temple Bar é algo indescritível. Após as três da manhã, a Grafton Street se torna o berço dos saltimbancos e artistas musicais. Uma dica de bar seria um local, enfim, com o charme de Paris. Tem uma cafeteria muito boa, o nome eh Café in Ciene... (ou fica na Kildade Street ou na Merrion Street, não lembro ao certo) [Breve tirarei a teima, inclusive estarei na Grafton St. às três da manhã... DdAB]

Mas o melhor é pegar o Dart [trem] e viajar... A cidade de Gayway é praticamente o símbolo da Irlanda. Cork é outra cidade agradável e muito simples. Considerados uma das maiores atrações da Irlanda e também um dos finalistas das Sete Maravilhas do Mundo da Natureza, os Cliffs of Moher são um conjunto de penhascos lindíssimos que se estendem por oito quilômetros. Estes são imperdíveis apesar de estarem em uma área complicada de se achar. 




Uma dica seria alugar um carro e fazer uma volta completa na ilha da Irlanda, algo muito legal e tranquilo de se fazer, impossível se perder.  O Norte da Irlanda do Norte é muito bonito, servindo de cenário para o filme "Crônicas de Narnia", valendo a pena visitar. Mas devemos tomar cuidado ao andar em Belfast, pois nos guetos ainda impera o perigo. Devemos ficar somente no centro e áreas destinadas aos turistas, mas no interior da Irlanda do Norte é tudo em tranquilo. 

Em Dublin existe a área do teatro O2, no Financial Service Centre perto da Ponte Millenium, lugar todo remodelado e muito rico para um passeio. Perto da futura U2 Tower tem o River Quay, ou seja, o estúdio de gravação do U2. Empinando uma por lá poderemos ver o baixista bebericando cerveja em um pub. 





[E olha que despedida mais linda:]

Espero que sua estada na minha cidade dos sonhos seja especial. Um abraço e felicidades banhadas de Guinness.

 DdAB
As imagens foram-me fornecidas pelo próprio prof. Christiano Avanegra.

Nenhum comentário: